segunda-feira, 8 de julho de 2019

Livro: Dylan Dog - Prelúdio Para Morte, por Dario Argento/Stefano Piani/ Corrado Roi

Lindíssima capa de um dos lançamentos do ano.
O anúncio de uma história em quadrinhos do personagem Dylan Dog escrita pelo mestre Dario Argento foi avassalador. No momento que eu soube, lá em 2018, sabia que teria de adquirir a obra de alguma maneira. A espera compensou: a Editora Mythos lançou um maravilhoso capa dura, grande e lindo, contando com um saboroso prefácio e notas da produção que irá agradar em cheio fãs do Dylan Dog, fãs do Dario Argento e fãs de belas histórias.

Um dos pontos que mais me impressionou foi a percepção passada de se entender o processo da criação desta narrativa pelo maestro Argento. Num saboroso posfácio denominado O Teatro Anatômico de Dario, Stefano e Corrado, somos apresentados ao pormenores da criação da obra. Tudo começou com Dario visualizando uma "bela mulher de longos cabelos pretos e com as costas cheias de cicatrizes". A partir de uma imagem tão plástica e intrigante (uma imagem, aliás, talhada para o mundo do cinema), criou-se uma trama. A partir de uma imagem a história passou a se desenrolar, com Dylan Dog seguindo esses rastros.

Em seguida, Dario associa elementos estranhos entre si, como a figura do Whipping Boy (na época vitoriana, punia-se um garoto pobre, amigo de um príncipe, caso a nobre criança cometesse erros),  o poeta neoclássico italiano Giuseppe Parini (e o intenso verso "Não se deve celebrar o sangue da alma que definha"), a pintura Lais Corinthiaca do mestre flamengo Hans Holbein (pintada em 1526 e exposta no Museu de Belas Artes da Basileia) além de BDSM. São elementos incrivelmente díspares, mas unidos numa envolvente trama, tal qual Argento fez em seus melhores filmes. A riqueza da narrativa impressiona muito.
Giuseppe Parini
Lais Corinthiaca

De quebra, há referências ao universo cinematográfico de Argento, como o próprio nome da HQ que remete a um dos filmes mais clássicos do diretor (Prelúdio Para Morte) e uma citação a banda Globin.

É um trabalho magistral, amigos. Uma obra de arte, uma aula de contagem de histórias e uma amostra maravilhosa da mente genial de Dario Argento. Vocês precisam ter este encadernado em suas coleções. 

Trailer: The Art Of Self-Defense (2019)

Eu nunca fui muito fã do Jesse Eisenberg, mas o trailer desta comédia de humor negro me fez rir mais do muito filme de comédia incensado por aí e me deixou mais animado/excitado para assistir do que muito filme de super herói "hypado" pela crítica imatura que inunda a internet. A história de um homem com medo de tudo e todos, que após sofrer um ataque na rua, resolve aprender a se defender, se matriculando num dojo meio... estranho. Personagens interessantes, ótimas piadas, bom humor físico e uma sensação de que podemos estar diante de uma verdadeira pérola - sabendo dosar a esquisitice/drama do roteiro e não exagerando na duração do longa. Em breve, nós saberemos.




domingo, 7 de julho de 2019

Fantasia Film Festival 2019 - As Escolhas do Editor


O festival mais esperado do ano por mim - o Fantasia Film Festival ocorrerá entre os dias 11 de julho e 1 de agosto e promete ser uma edição incrível. Ted Kotcheff, diretor do essencial Rambo - Programado para Matar será um dos grandes homenageados do ano. O produtor Edward R Pressman também será homenageado - o cara já trabalhou com gente do calibre de Brian De Palma, Sam Raimi, Terrence Mallick, Sylvester Stallone, John Milius, John Frankenheimer, Abel Ferrara, Alex Proyas dentre muitos outros grandes nomes. 

Além disso, a seleção cinematográfica sempre reserva uma ampla variedade de muitos filmes incríveis e interessantes. Saibam que a lista é maravilhosa e tem muita coisa que ficou de fora da nossa modesta seleção de 6 títulos muito esperados por mim. Definitivamente, participarei um dia desse festival; por enquanto, vou caçando os filmes deste maravilhoso catálogo e, aos poucos, vamos conversando sobre eles aqui, "falou"! 

The Lodge (2018)
As mentes perturbadas responsáveis pelo hit Goodnight Mommy, de 2014, retornam com mais uma história de isolamento e maldade - desta vez uma futura madrasta e duas crianças ficam presas numa choupana durante um feriado invernal e um bando de coisas sombrias começam a acontecer. O trailer é de trincar os dentes e o filme parece ter alguns elementos em sua trama de seitas macabras (aparentemente a inspiração é o famigerado grupo "Heavens Gate", responsável pelo suicídio coletivo de 39 pessoas). Aliás, parece que muitos filmes de terror deste ano estão bebendo nesta fonte de cultos e seitas malditas (vide o "hypado" Midssomar). Vamos aguardar, certamente teremos revisão dele aqui no blog

Lake Michigan Monster (2018)
Uma das coisas mais legais do mundo do cinema é a maneira como uma história é contada - desde aspectos técnicos como fotografia, montagem, trilha sonora, dentre outros, mas também a própria filmagem de cenas com potencial de ficarem cravadas na memória do público. Lake Michigan Monster homenageia os saudosos filmes B de monstros dos anos 50 e, de quebra, parece fornecer lindas imagens surreais que algumas obras, atualmente, insistem em esquecer. Parece ser uma incrível experiencia numa bela sala de cinema.


Dare To Stop Us (2018)
O espetacular trailer deste filme nos situa no Japão, Primavera de 1969: o cineasta Nagisa Oshima é um dos expoentes do Novo Cinema Japonês. Uma jovem busca emprego nos estúdios da Wakamatsu Produções, se deparando com um grupo de cineastas transgressores que realizariam alguns dos mais transgressores filmes pinkus (subgênero do cinema erótico) de todos os tempos. Uma homenagem/biografia de um período muito específico e especial do glorioso cinema do Japão e um deleite aos fãs de cinema, especialmente os que se interessam pelo lado mais alternativo da sétima arte.

Sadako (2019)
Meus amigos, eu achei o trailer deste filme apavorante. É perceptível a tentativa de renovar a franquia com elementos da atualidade, como as redes sociais/internet. Hideo Nakata retorna à direção e o autor original, Koji Suzuki, deu sua benção a esta continuação. Não deixa de ser engraçado que a franquia O Chamado, como todo bom filme de terror de sucesso, rendeu uma penca de continuações, reboots e prequels. Pelo trailer de divulgação, talvez eles tenham acertado a mão. Atenção a angustiante trilha sonora.

The Miracle Of The Sargasso Sea (2019)
Tem alguns críticos referindo uma "New Weird Greek Wave" (Nova Onda de Cinema Excêntrico Grego - livre tradução), capitaneada pelo Yorgos Lanthimos, cujas indicações ao Oscar certamente deram força a este suposto novo movimento. São detalhes que apenas situam uma produção bastante incomum da Grécia ser selecionada para o festival deste ano, uma história de um crime numa cidade pequena localizada perto do tal Mar Sargasso, um local meio misterioso, a la Triângulo das Bermudas. É intrigante e tem elementos interessantes demais para ser ignorado.

Alien Crystal Palace (2018)
Todo festival que se preze tem de ter bizarrices, senhores. Experimentos cinematográficos, obras surrealistas, narrativas exóticas, filmes grosseiros ou alguma esquisitice que nós, cinéfilos, adoramos assistir de vez em quando. Esse filme frances é um musical, segundo informações divulgadas, de um cientista maluco tentando criar um "andrógino perfeito". O trailer não revela muita coisa além de uma inspirada fotografia e alguns nomes interessantes no elenco, incluindo a participação do estilista Christian Loubotin. Vai ser um daqueles filmes difíceis de se achar para assistir, fora do circuito de festivais.

sábado, 6 de julho de 2019

Pôster: Shadow (2018)


Uma verdadeira obra de arte. São tantos elementos espetaculares nesta composição, possivelmente uma das melhores desta década. Tomara que o filme faça jus a esta imagem tão impressionante e maravilhosa.

quinta-feira, 27 de junho de 2019

Pôster: Downtown Abbey (2019)



Eu tinha programado uma postagem, no início deste ano, com uma lista dos lançamentos mais aguardados de 2019. E a adaptação de Downton Abbey para as telonas ocuparia o pódio de filme mais esperado do ano por mim. Eu me apaixonei pela série e seus surpreendentes e intensos desenrolares. Geralmente, não acompanho o mundo das séries com muita atenção, mas Downton Abbey foi uma ótima exceção e eu mal posso esperar para assistir a continuação dessa saga numa sala de cinema. E, pelo amor de Deus, em versão legendada!